A questão das línguas na igreja hoje, continua a ser uma fonte de vasta diferença de opinião.

Algumas pessoas se revelam por demais entusiastas.

Outras estão plenamente certas de que o fenômeno corrente representa a obra de Satanás no seio da igreja. Muitos crentes evangélicos simplesmente não sabem o que pensar ou de que forma responder.

Que posição tomamos entre essas diversas opiniões? Simplesmente não podemos negar que algo chamado “falar em línguas” esteja ocorrendo na igreja hoje. O que fazer, pois, para alcançarmos uma conclusão sadia sobre sua relevância?

Não há dúvida de que é importante ser sensível às experiências religiosas de muitas pessoas. Porém todas e qualquer experiência religiosa deve passar por um teste objetivo da Escritura.

Há um provérbio bíblico que diz: “O ferro afia-se com o ferro; assim o homem afia o semblante de seu amigo” (Pv 27, 17). (Palmer Robertson, A palavra final, editora Os Puritanos).

Assim, encorajamos a todos os amigos cristãos a submeterem as suas experiências ao crivo das Sagradas Escrituras.

A Sala de Leitura Reformada cordialmente oferece esta oportunidade de abrirmos as Escrituras e ver o que ela nos tem a dizer sobre o assunto.